Rádio CN Agitos

domingo, 24 de novembro de 2013

Pessoas que comem nozes e castanhas todo dia vivem mais e são mais magras.

  • O consumo diário de oleaginosas reduziu o risco de doenças do coração em 29% e de câncer em 11% O consumo diário de oleaginosas reduziu o risco de doenças do coração em 29% e de câncer em 11%
Pessoas que consomem uma porção diária de oleaginosas, como castanhas e nozes, têm uma redução de 20% no risco de morrer de qualquer doença e ainda tendem a ser mais magras.
É o que mostra um estudo conduzido por cientistas do Instituto de Câncer Dana-Farber, do Brigham and Women's Hospital, e da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos EUA. Os resultados estão no periódico New England Journal of Medicine.
Trata-se do maior trabalho desse tipo já publicado: os pesquisadores analisaram dados de 76.464 mulheres no período de 1980 a 2010 e de 42.498 homens entre 1986 to 2010.
"O benefício mais óbvio foi a redução em 29% de mortes decorrentes de doenças do coração", afirmou o médico Charles Fuchs, do Dana-Farber, um dos autores do trabalho. "Mas também observamos uma redução significativa - de 11% - nas mortes por câncer."
Os pesquisadores não conseguiram determinar quais os tipos de oleaginosa mais benéficos à saúde - a redução na mortalidade foi similar entre consumidores de amendoim, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia, pistache, noz comum e noz pecan.
Estudos anteriores já tinham associado o alto consumo de oleaginosas à diminuição do risco de doenças como diabetes tipo 2, câncer de cólon, cálculo biliar e doenças do coração. O fato também foi ligado à redução do colesterol, do estresse oxidativo e dos níveis de inflamação, adiposidade e resistência à insulina. Mas nenhum deles envolveu tanto tempo e um número tão grande de pessoas.
Os pesquisadores usaram duas grandes bases de dados em que os participantes respondiam questionários sobre hábitos alimentares e saúde em intervalos de dois a quatro anos. A porção de oleaginosas declarada por eles era de mais ou menos 29 gramas, quantidade que geralmente é oferecida em saquinhos vendidos em máquinas nos EUA. Quanto mais frequente era o consumo, maiores os benefícios notados.
Uma análise mais detalhada permitiu concluir que os consumidores de oleaginosas têm características que também contribuem para a redução de doenças: eles são mais magros, menos propensos a fumar e a beber, se exercitam mais, consomem mais frutas e verduras e usam suplementos. Mas os resultados foram confirmados mesmo com esses fatores isolados na análise.
Os autores avisam que o estudo não tem como comprovar causa e efeito. Mas lembram que a conclusão é compatível com outros estudos que mostram os benefícios do consumo de oleaginosas.
 Do UOL.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Produtos dietéticos devem ser consumidos com equilíbrio devido ao sódio. .


No mês de novembro todo o mundo se une em prol de uma causa muito importante, informar sobre o diabetes. Comemorado anualmente no dia 14 de novembro, o Dia Mundial do Diabetes chama a atenção de todos para questões que envolvem a doença, incluindo prevenção e tratamento. O Brasil ocupa a quarta posição entre os países com prevalência de diabetes e a obesidade e o sedentarismo estão entre as principais causas dessa epidemia. 
Recentemente o Ministério da Saúde divulgou a prevalência de obesidade em nosso país, quase metade da população brasileira esta com sobrepeso ou obesidade. A mudança no perfil alimentar tem sido fortemente relacionada à epidemia de obesidade, representada principalmente pelo aumento do consumo de alimentos refinados, industrializados e produtos prontos. Em comum, além do elevado valor calórico, esses alimentos também são ricos em sódio
O consumo excessivo de sódio tem sido tema de grandes discussões pela forte associação com outra doença, a hipertenção arterial e pelo aumento do risco de doenças cardiovasculares. Porém, o que mais se questiona atualmente é a quantidade elevada de sódio em produtos dietéticos ou com baixo valor calórico. De fato é um tema que expõe uma grande contradição, como produtos alimentares idealizados para tratar o diabetes e diminuir o excesso de peso pode elevar o risco de outra doença? 
O sódio é um nutriente largamente utilizado pela indústria de alimentos. É utilizado principalmente como conservante e adoçante. O ciclamato de sódio e sacarina sódica são os adoçantes que contribuem para elevação de sódio em produtos dietéticos. A indústria substitui o açúcar por uma combinação de adoçante, incluindo esses que contém sódio, em produtos como doces diet, iogurte light ou diet e principalmente bebidas como sucos e refrigerantes. Quando comparados aos produtos originais, nota-se maior teor de sódio, mas não necessariamente são ricos em sódio. 
O fato é que o consumo desses produtos não traz à saúde riscos adicionais, o consumo excessivo, esse sim parece ser o maior vilão. Infelizmente, é difícil saber exatamente a quantidade de adoçante ingerida diariamente, pois nem sempre os fabricantes disponibilizam esses valores nos rótulos. Também não sabemos quanto de sódio tem nessas porções. Por isso, é fundamental controlar a quantidade de alimentos contendo adoçante e não a quantidade máxima de adoçante. 
Afinal, o uso indiscriminado de adoçantes parece estar dando o aval para que as pessoas consumam mais alimentos e com eles, muito mais calorias. A saída é procurar entender um pouco mais sobre os alimentos que consumimos, para que possamos usufruir das possibilidades alimentares que dispomos hoje, como, por exemplo, o grande avanço que foi a descoberta dos adoçantes, principalmente para pessoas com diabetes. Além delas, as pessoas que desejam perder peso ou até manter peso também foram beneficiadas, pois conseguem reduzir bastante às calorias ingeridas durante o dia com a troca do açúcar pelo adoçante. 
Já o uso do sódio como conservante de alimentos industrializados gera muito mais preocupação, pois esses produtos são realmente ricos em sódio. Não são produtos destinados a grupos específicos e estão diretamente relacionados ao surgimento de doenças crônicas como obesidade e hipertensão. Esse é um tópico tão importante que levou o Ministério da Saúde a firmar acordos com a indústria de alimentos visando à diminuição do sódio em alimentos processados. 
No mês em que o diabetes ganha campanha mundial a mensagem mais importante para àqueles que já desenvolveram a doença e para um grande número de pessoas que ainda podem fazer a prevenção é de que o sódio em alimentos dietéticos não traz danos adicionais à saúde, desde que consumidos moderadamente. A discussão sobre o sódio não deve ficar restrita apenas para produtos industrializados. No Brasil o sal de adição ainda é o nosso maior problema. Buscar equilíbrio entre o consumo de sal refinado, a diminuição do consumo de produtos processados, o aumento da atividade física e o alcance das metas de peso é sem dúvida uma grande desafio, mas nessas medidas encontraremos a garantia de um futuro saudável!

TEXTO Margareth Fernandes,SEM CONTAMINAR.



 Dificuldades? Desilusões?Sempre aparecem... A questão é saber enfrentar tudo isso sem contaminar os outros com mau humor, indiferença, raiva. Tente aprender mais, sorrir mais, acredite em você e peça ao Senhor sabedoria, criatividade, paciência e alegria. Tenha otimismo e um novo dia será ofertado, para que você transforme-se e recomece!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

'Novembro Azul' alerta para a prevenção ao câncer de próstata.

Depois da campanha 'Outubro Rosa', de combate do câncer de mama, chega o 'Novembro Azul', mais uma campanha de concientização direcionada, dessa vez, aos homens. O alvo agora é o combate ao câncer de próstata.

O lançamento do 'Novembro Azul' aconteceu no auditório da Secretaria de Saúde do municipio. Urologistas, representantes  dos programas da saúde do homem em Imperatriz e da comunidade participaram da programação. Durante o lançamento, os organizadores do evento chamaram a atenção para uma maior participação dos homens nas atividades propostas para todo o mês de novembro.

A expectativa é que as ativiades desenvolvidas ajudem a aumentar por exemplo o índice de exames de toque retal que ainda é considerado baixo. Segundo especialistas, a visita ao médico é fundamental para que a prevenção do câncer de próstata aconteça. Com o diagóstico precoce da doença, as chances de cura do paciente aumentam bastante.

"A pessoas não têm que se preocupar só com o câncer, mas também com as doenças prostátatas, que vêm antes. Os homens devem fazer prevenções porque o câncer de próstata é silencioso, não tem sintomas. Se o paciente tiver casos de câncer na família, o ideal é que aos 45 anos faça a sua prevenção", alertou o Drº José Neto, urologista.

Ainda de acordo com José Neto, o cancer de pênis é outra mazela que preocupa muito, principalmente em cidades mais pobres. Pois, segundo ele, a doença surge por falta de instrução e hogienização correta.